quarta-feira, 11 de dezembro de 2019

Bentley EXP 100 GT

por em quarta-feira, dezembro 11, 2019






O Bentley EXP 100 GT, o presente de centenário da marca britânica para nós, pode muito bem ser o retrato mais fiel do que será um grand tourer da Bentley em 2035. Não só no plano estético, mas sobretudo no plano tecnológico e de sustentabilidade.

É esse o foco do EXP 100 GT, um manifesto rolante do que será a mobilidade de luxo sustentável, assente sobre dois pilares, condução autónoma e movida a eletricidade.

Trata-se de um enorme coupé — 5,8 m de comprimento por aproximadamente 2,4 m de largura —, com duas portas de acesso também elas de enormes dimensões (dois metros cada). Elas abrem para fora e para cima, ficando a quase três metros do chão no seu ponto mais elevado.

O EXP 100 GT segue uma já longa linha de protótipos da Bentley, que anteciparam, de uma forma ou outra, o que esperar dos seus futuros modelos. Apesar de ser, talvez, o mais futurista dos vários protótipos EXP, não o descuremos como um exercício superficial — trata-se de um manifesto de intenções, tanto do ponto de vista visual, material e tecnológico.

Lotus Evija

por em quarta-feira, dezembro 11, 2019








Até então conhecida principalmente pelos carros esportivos leves, a britânica Lotus revelou o Evija, modelo que chega em 2020 para ser o carro de produção mais potente já produzido.

Elétrico, o Evija usa dois motores com potência equivalente a 2.000 cv, alimentados por baterias de íon de lítio de 2.000 kW — desenvolvidas em parceria com a Williams Advanced Engineering — e montadas em posição central traseira. Cada motor transfere a força para duas caixas de engrenagens, dotadas de motores elétricos e que cumprem o mesmo papel da transmissão em um carro convencional.

A suspensão usa amortecedores adaptativos da Multimatic e trabalha em conjunto com um sistema de freios de alumínio forjado com discos de cerâmica na dianteira e traseira. As rodas de magnésio são de 20″ (dianteira) e 21″ (traseira), e usam pneus Pirelli Trofeo R.

Carroceria e estrutura são feitos em fibra de carbono usando a mesma tecnologia dos carros de Fórmula 1. Os bólidos da categoria serviram de inspiração também para a asa móvel na traseira, capaz de mudar de posição automaticamente para reduzir o arrasto aerodinâmico. Pelo mesmo motivo, a Lotus substituiu todos os retrovisores do modelo por câmeras de alta resolução, que exibem as imagens em três telas dentro da cabine.

Na lista de equipamentos, a principal novidade são os faróis alto e baixo de laser. Até então, a tecnologia era empregada apenas no facho alto dos faróis de superesportivos e modelos de alto luxo. Mas o Evija terá também sistema de telemetria com registro de dados em nuvem e uma cabine com elementos em Alcantara e fibra de carbono.

A produção do hipercarro da Lotus está programada para começar em 2020. Serão produzidas apenas 130 unidades, ao custo unitário de 1,7 milhão de libras (R$ 7,95 milhões). Para reservar um lugar na fila, a marca pede um sinal de “apenas” 250.000 libras (cerca de R$ 1,17 milhão). Mas promete que cada unidade poderá ser personalizada de acordo com o pedido do comprador.

Apollo Intensa Emozione

por em quarta-feira, dezembro 11, 2019





Intensa Emozione é um novo supercarro da Apollo completamente exclusivo, exótico e limitado a 10 unidades. Por 2,2 milhões de euros (equivalente a aproximadamente R$ 8.6 milhões), você levar pra casa incríveis 780 cavalos de potência vindos de um motor V12 aspirado. Nada de downsizing por aqui.

A Apollo é uma fabricante que era conhecida como Gumpert Sportwagenmanufaktur. Fabricante de supercarros, a empresa já havia lançado o Apollo Sport, um carro que ao participar do programa britânico Top Gear se tornou o novo recordista da famosa pista localizada em um aeroporto, sendo mais rápido que Bugatti Veyron e Pagani Zonda.

Um novo conceito de supercarro foi construído pela Apollo. Temos muita eficiência aerodinâmica e aderência ao solo (traduzindo como um “carro com muito chão”), sendo considerado pela fabricante como um carro de corrida moderno aliado a um clássico V12. O Intensa Emozione captura o sentimento e o verdadeiro sentido de um supercarro.

Literalmente o nome “Intensa Emozione” traduz a emoção intensa esperada do potente motor aspirado e sem tecnologia híbrida que chega a 9.000 rpm. O motor é aliado a um fantástico câmbio Hewland, sequencial de 6 velocidades, acionado por meio de borboletas atrás do volante.

Com eficiência aerodinâmica similar a de um carro de corrida LMP2, o Intensa Emozione é capaz de gerar 1.350 kg de carga aerodinâmica a velocidade de 300km/h. O chassi feito de maneira integral em fibra de carbono possui o máximo em rigidez de torção e segurança. Acredite, o chassi pesa somente 105 kg.

Limitado a 10 unidades totalmente personalizáveis, os felizardos proprietários do Intensa Emozione possuirão acesso exclusivo ao programa Time Attack que ocorrerá em famosas pistas espalhadas pela Europa, além de possuírem prioridade na compra do irmão mais novo da marca, o Arrow, que possui lançamento previsto para 2019.

Com a oportunidade de participar do processo de ajuste fino do Intensa Emozione, os proprietários também possuem direito a acompanhar o “Team Apollo” em sessões privadas de testes, alem de participar do desenvolvimento de novos supercarros da marca. Algo completamente exclusivo.

LAMBO V12 - Vision Gran Turismo

por em quarta-feira, dezembro 11, 2019











A Lamborghini apresentou em Mônaco, durante a final do campeonato mundial de Gran Turismo Sport, um carro-conceito que representa sua “visão” para os automóveis do futuro. E futurista é a palavra certa para descrever a Lamborghini V12 Vision Gran Turismo.

O carro se parece mais com o cockpit de um avião de caça montado sobre rodas do que um veículo tradicional. Isso é reforçado pelo espaço interno, que comporta apenas o motorista, e pela forma como as informações são apresentadas a ele: projetadas no vidro do cockpit.

Obviamente, não se trata de um veículo de produção. Ele é parte do programa “Vision Gran Turismo”, criado pela Polyphony Digital (desenvolvedora do jogo), que convidou grandes fabricantes a “soltar a imaginação” criando veículos conceito que estarão disponíveis nos games da série. McLaren, Audi, BMW, Toyota e Jaguar já criaram seus veículos, com alguns deles aparecendo no mundo real, como a nova Lamborghini.

quinta-feira, 1 de março de 2018

Audi A7 - Azul

por em quinta-feira, março 01, 2018




O sedã de quase 5 metros é oferecido na versão 55 TFSI, seguindo o novo padrão de nomenclaturas da Audi.

Ela traz motor V6 de 340 cavalos e 51 kgfm acoplado ao câmbio de dupla embreagem e 7 marchas com tração integral. Assistente de direção em situações de tráfego pesado, o carro praticamente “se dirige”, controlando aceleração, frenagem e direção, seguindo o veículo a frente.

 O eixo traseiro direcional, auxilia na estabilidade e nas manobras e as duas telas centrais, de 10 e 8,6 polegadas, praticamente eliminam os botões a bordo. 

Outros itens do carro são teto solar, ar-condicionado com 4 zonas de regulagens de temperatura, quadro de instrumentos digital e personalizável, porta-malas com abertura elétrica, bancos de couro com regulagens elétricas e memória e sistema de som da grife Bang & Olufsen com até 19 alto-falantes.

segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018

Chevette - Marrom

por em segunda-feira, fevereiro 19, 2018







O Chevette foi um automóvel lançado pela General Motors no ano de 1973, sendo fabricado pela montadora Chevrolet no Brasil.

Foi introduzido inicialmente como um sedan duas portas mantendo como sua principal característica, mas posteriormente também foram oferecidos modelos com 4 portas para exportação (de 1978 a 1987) e versões em hatchback (de 1980 a 1987). O Chevette originou outros modelos derivados como a station wagon Marajó (fabricada de 1980 a 1989) e a pickup Chevy 500 (produzida de 1983 a 1995).

O veículo também ficou conhecido pela sua potência oferecida. Durante toda sua história, o Chevette já veio equipado com vários motores: 1.0 litro (versão Júnior lançado em 1992), 1.4 (carburação simples e dupla, esta somente em 1982 como opcional), 1.6 (carburação simples) e 1.6/S (carburação dupla, a partir de 1988, um ano após sua última reestilização). Também foram introduzidos motores tanto a gasolina quanto a álcool.

Lançado na década de 70, o Chevette tornou-se um dos mais populares veículos produzidos pela GM no Brasil. Estima-se que até o encerramento de sua produção em 1993, o modelo teria vendido mais de 1,6 milhões de unidades, tendo seu apogeu em vendas entre o fim dos anos 70 e meados da década de 80, quando nestes anos, seus concorrentes diretos saíram de linha em outras montadoras. Foi eleito por duas vezes pela Revista Autoesporte o Carro do Ano em 1974 e em 1981. Em 1983, pela primeira e única vez em sua história, o Chevette foi o carro mais vendido no Brasil.

terça-feira, 19 de dezembro de 2017

Mercedes Benz C 230 - Vermelha

por em terça-feira, dezembro 19, 2017




A Mercedes-Benz nasceu da fusão de duas companhias de automóveis: a Daimler Motoren Gesellschaft e a Benz & Cie. Antes da sua formação, em 1924, ambas as empresas produziam já automóveis brilhantes, que rivalizaram entre si durante aproximadamente trinta anos.

No início da Primeira Guerra Mundial, as duas companhias tiveram de interromper a produção de automóveis para se dedicarem à produção de material bélico, voltando ao ramo automóvel no fim da guerra. Os problemas começaram quando, na Alemanha do pós-guerra, as agitações sociais e as crises na economia eram uma constante. A nível automobilístico, a pouca ou nenhuma existência de combustíveis, bem como a taxa de 15% de bens de luxo, levaram a uma quebra desastrosa da produção de automóveis. Para fazer face a este cenário, a Daimler Motoren Gesellschaft e a Benz & Cie decidiram juntar-se.

No ano de 1924, as duas empresas assinaram um “acordo de interesses mútuos” num documento onde ficou estipulado que as diferentes identidades iriam ser mantidas e que o acordo teria uma validade até ao ano 2000. As duas companhias emergem com relativa facilidade a 28 de Junho de 1926, passando a identificar-se como Mercedes-Benz, cujo símbolo ficou uma estrela de três pontas. Actualmente, esta marca é uma das mais conceituadas do mercado automóvel e é considerada, também, uma das mais seguras.

Em 1928 a marca alemã inicia a produção do “SS” (Super Sport), este modelo viria a ser um ícone da marca tendo vencido o Grande Prémio da Alemanha desse ano. No salão de Paris de 1930 foi lançado um modelo de luxo, o 770, um oito cilindros em linha sobrealimentado. Durante a Segunda Guerra Mundial a produção automobilística foi estrangulada, tendo sido a capacidade produtiva orientada para a produção bélica. Depois da guerra, o único carro produzido pela marca foi o 170V de 1947.

A década de 50 foi marcada pelo lançamento do Gullwing, em 195x, que viria a ser substituído pelo 300 SL Roadster em 1957. Este modelo montava já travões de disco às quatro rodas desenvolvidos pela Dunlop. Os anos 60 foram marcados pelas versões Roadster do modelo SL, dos quais se destacam o 190 e o 230, este último com um motor de seis cilindros. No salão de Génova é mostrado uma versão experimental de um super-desportivo, o Experimentalfahrzeuge C 111/II, que com quatro rotors Wankel debitava 350 cv de potência. Na Primavera de 1971, e em substituição do 280 SL (em produção desde Janeiro de 1968), foi lançado o desportivo 350 SL que viria a ser produzido em larga escala.

Em 1982 a marca alemã lança o 190, um modelo compacto, com uma suspensão revolucionária, em que a segurança é a palavra de ordem. O 190 esteve no activo até ao início de 1993, tendo sido substituído pelo classe C que, em 2001, foi substituído por um modelo inteiramente novo. Em 1997 nasce o SLK, um modelo Roadster compacto, que conta com um engenhoso sistema de recolhimento do tejadilho. Este modelo sofreu uma profunda remodelação em 2004.

Em 1998 a Mercedes-Benz entra pela primeira vez no segmento dos utilitários com a série A. O série A foi comercializado inicialmente com três propulsores, dois a gasolina (um 1.4 e um 1.6) e um a diesel 17 CDI. Em 2002, e no seguimento das grandes berlinas de luxo produzidas pela marca, é lançado o carro mais luxuoso de sempre, o Maybach. Este modelo foi apresentado em duas versões, o 57 e o 62, que medem 5,7 e 6.2 metros, respectivamente. Os preços para estas versões começam nos 400 mil euros.

A 8 de Maio de 1998 a Chrysler e a Mercedes-Benz anunciam a vontade de se unir, e a 18 de Setembro desse mesmo ano foi criada a Daimler Chrysler.

Veloster - Branco

por em terça-feira, dezembro 19, 2017










Hyundai Veloster é um hatchback cupê compacto desportivo fabricado pela Hyundai. Inspirado no conceito Veloster apresentado em 2007, teve início de vendas previsto para o segundo semestre de 2011. Foi lançado em 10 de janeiro de 2011 no salão do automóvel de Detroit. É considerado um carro conceito de três portas e com teto de vidro. Seu nome é resultado da combinação das palavras "velocity" e "roadster", formando "Veloster". A plataforma do carro é baseada na dianteira e rodas do Hyundai Accent e do Hyundai Elantra.

Em Junho de 2012 a Hyundai iniciou a venda do Veloster Turbo nos Estados Unidos. Essa versão conta com o motor 1.6 GDI com injeção direta, oferecendo 204cv (201hp) de potência, além de modificações na parte externa e interna em relação à versão regular.[1]

A versão que se encontra disponível no Brasil conta com motor 1.6 DOHC de 128 cv de potência. A Hyundai simplesmente entrou com um carro que tentou mudar o conceito dos hatchs com essa versão coupê de três portas.

No Brasil em 2011 a Hyundai junto com o Grupo Caoa foi denunciado ao Ministério Publico de Minas Gerais por possivelmente praticar propagandas enganosas, como declaração da potência do Veloster e outros veículos da montadora.

Mais Populares

Pesquisar

Último Cadastrado

O Bentley EXP 100 GT, o presente de centenário da marca britânica para nós, pode muito bem ser o retrato mais fiel do que...