terça-feira, 19 de dezembro de 2017

Mercedes Benz C 230 - Vermelha

por em terça-feira, dezembro 19, 2017




A Mercedes-Benz nasceu da fusão de duas companhias de automóveis: a Daimler Motoren Gesellschaft e a Benz & Cie. Antes da sua formação, em 1924, ambas as empresas produziam já automóveis brilhantes, que rivalizaram entre si durante aproximadamente trinta anos.

No início da Primeira Guerra Mundial, as duas companhias tiveram de interromper a produção de automóveis para se dedicarem à produção de material bélico, voltando ao ramo automóvel no fim da guerra. Os problemas começaram quando, na Alemanha do pós-guerra, as agitações sociais e as crises na economia eram uma constante. A nível automobilístico, a pouca ou nenhuma existência de combustíveis, bem como a taxa de 15% de bens de luxo, levaram a uma quebra desastrosa da produção de automóveis. Para fazer face a este cenário, a Daimler Motoren Gesellschaft e a Benz & Cie decidiram juntar-se.

No ano de 1924, as duas empresas assinaram um “acordo de interesses mútuos” num documento onde ficou estipulado que as diferentes identidades iriam ser mantidas e que o acordo teria uma validade até ao ano 2000. As duas companhias emergem com relativa facilidade a 28 de Junho de 1926, passando a identificar-se como Mercedes-Benz, cujo símbolo ficou uma estrela de três pontas. Actualmente, esta marca é uma das mais conceituadas do mercado automóvel e é considerada, também, uma das mais seguras.

Em 1928 a marca alemã inicia a produção do “SS” (Super Sport), este modelo viria a ser um ícone da marca tendo vencido o Grande Prémio da Alemanha desse ano. No salão de Paris de 1930 foi lançado um modelo de luxo, o 770, um oito cilindros em linha sobrealimentado. Durante a Segunda Guerra Mundial a produção automobilística foi estrangulada, tendo sido a capacidade produtiva orientada para a produção bélica. Depois da guerra, o único carro produzido pela marca foi o 170V de 1947.

A década de 50 foi marcada pelo lançamento do Gullwing, em 195x, que viria a ser substituído pelo 300 SL Roadster em 1957. Este modelo montava já travões de disco às quatro rodas desenvolvidos pela Dunlop. Os anos 60 foram marcados pelas versões Roadster do modelo SL, dos quais se destacam o 190 e o 230, este último com um motor de seis cilindros. No salão de Génova é mostrado uma versão experimental de um super-desportivo, o Experimentalfahrzeuge C 111/II, que com quatro rotors Wankel debitava 350 cv de potência. Na Primavera de 1971, e em substituição do 280 SL (em produção desde Janeiro de 1968), foi lançado o desportivo 350 SL que viria a ser produzido em larga escala.

Em 1982 a marca alemã lança o 190, um modelo compacto, com uma suspensão revolucionária, em que a segurança é a palavra de ordem. O 190 esteve no activo até ao início de 1993, tendo sido substituído pelo classe C que, em 2001, foi substituído por um modelo inteiramente novo. Em 1997 nasce o SLK, um modelo Roadster compacto, que conta com um engenhoso sistema de recolhimento do tejadilho. Este modelo sofreu uma profunda remodelação em 2004.

Em 1998 a Mercedes-Benz entra pela primeira vez no segmento dos utilitários com a série A. O série A foi comercializado inicialmente com três propulsores, dois a gasolina (um 1.4 e um 1.6) e um a diesel 17 CDI. Em 2002, e no seguimento das grandes berlinas de luxo produzidas pela marca, é lançado o carro mais luxuoso de sempre, o Maybach. Este modelo foi apresentado em duas versões, o 57 e o 62, que medem 5,7 e 6.2 metros, respectivamente. Os preços para estas versões começam nos 400 mil euros.

A 8 de Maio de 1998 a Chrysler e a Mercedes-Benz anunciam a vontade de se unir, e a 18 de Setembro desse mesmo ano foi criada a Daimler Chrysler.

Veloster - Branco

por em terça-feira, dezembro 19, 2017










Hyundai Veloster é um hatchback cupê compacto desportivo fabricado pela Hyundai. Inspirado no conceito Veloster apresentado em 2007, teve início de vendas previsto para o segundo semestre de 2011. Foi lançado em 10 de janeiro de 2011 no salão do automóvel de Detroit. É considerado um carro conceito de três portas e com teto de vidro. Seu nome é resultado da combinação das palavras "velocity" e "roadster", formando "Veloster". A plataforma do carro é baseada na dianteira e rodas do Hyundai Accent e do Hyundai Elantra.

Em Junho de 2012 a Hyundai iniciou a venda do Veloster Turbo nos Estados Unidos. Essa versão conta com o motor 1.6 GDI com injeção direta, oferecendo 204cv (201hp) de potência, além de modificações na parte externa e interna em relação à versão regular.[1]

A versão que se encontra disponível no Brasil conta com motor 1.6 DOHC de 128 cv de potência. A Hyundai simplesmente entrou com um carro que tentou mudar o conceito dos hatchs com essa versão coupê de três portas.

No Brasil em 2011 a Hyundai junto com o Grupo Caoa foi denunciado ao Ministério Publico de Minas Gerais por possivelmente praticar propagandas enganosas, como declaração da potência do Veloster e outros veículos da montadora.

quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

Kombi - Cinza

por em quarta-feira, dezembro 06, 2017










A Volkswagen Kombi foi um automóvel utilitário produzido pela empresa automotiva alemã Volkswagen, entre 1950 e 2013. Por força de um decreto, os carros a partir de 2014, deveriam ser dotados de freio tipo ABS e possuir air-bag frontal duplo (para o condutor e passageiro do banco dianteiro). No Brasil, foi fabricada ininterruptamente entre 2 de setembro de 1957 e 18 de dezembro de 2013, sendo praticamente o carro mais antigo do país.[1] É considerada a precursora das vans de passageiros e carga.

Sua construção robusta monobloco (sem chassi), suspensão independente com barras de torção, além da excêntrica posição do motorista no carro (sentado sobre o eixo dianteiro e com a coluna de direção praticamente vertical), o tornam um veículo simples e robusto, de baixo custo de manutenção. Sua motorização é um caso a parte: embora os modelos recentes possuam motores mais modernos, durante 50 anos o motor que equipou o veículo no Brasil foi o tradicional "boxer" com refrigeração a ar, simples e muito resistente. Tal durabilidade geralmente superava em muito a do resto do carro, sendo comum nas ruas brasileiras ver carros totalmente destroçados, porém com o motor rodando perfeitamente. A despeito disso, a Kombi é um carro que, se usado dentro das especificações padrão, pode durar um longo período.

Mais Populares

Pesquisar

Último Cadastrado

O sedã de quase 5 metros é oferecido na versão 55 TFSI, seguindo o novo padrão de nomenclaturas da Audi. Ela traz motor V6 d...